Sociedade Recreativa e Carnavalesca Arranco

Fundação: 31/12/1948
Fundadores: Os Irmãos Oscar (falecido em 1994) & Beto (em memória) Alves de Azevedo.

Cores: Azul e Branco

"Pelos idos dos anos 50, surgiu a idéia de se formar um bloco carnavalesco, no subúrbio do Engenho de Dentro, já famoso pelo seu carnaval. Os irmãos Oscar e Beto (este de saudosa memória) tiveram a iniciativa e partiram para a batalha.
Pela sua tradição de "bloco de sujos" e levar consigo um grande numero de foliões como um verdadeiro arrastão, deu-se o nome de Arranco. Nos seusprimeiros passos sentia-se que aquele bloquinho iria tornar-se, em futuro bem próximo, uma grande Sociedade Carnavalesca, quer pela sua aceitação quer pela sua organização.
Criaram-se então as cores azul e branco como oficiais da agremiação e passou a apresentar carnavais que o povo ainda se recorda como: Gregos, Romanos, As Mil e Uma Noites e as coadjuvados pelo grande compositor Serrinha fizeram o Arranco opcupar lugar de destaque, tornando-se um verdadeiro sucesso. Posteriormente filiou-se à Federação de Blocos, onde há alguns anos vem disputando com os seus co-irmãos o primeiro lugar, o que por um desses caprichos na natureza ainda não pode conquistar. O sucesso é grande. O êxito aumenta dia a dia e para nosso orgulho recebemos um convite do Consulado da Argentina, a fim de participarmos de um concurso carnavalesco naquele país irmão. Pois bem, amigos, o Arranco se fez presente e honrando suas tradições apresenta-se de forma exuberante onde a Ala das Colheres, mais uma incrementação arranquista no samba, empolga e conquista a todos e até o primeiro lugar, com sete medalhas de ouro.
O Arranco não se deixou levar pelos louros alcançados e continua lutando na quadra e no asfalto para manter aquilo que é de todos nós, o Samba Autêntico.
Não poderíamos esquecer o novo sangue injetado pela atual diretoria que com sua dinâmica vai implantando uma outra mentalidade nos jovens e procura fazer da nossa Sociedade um segundo lar. Portanto, meus amigos, o Arranco cresce: venha visitá-lo para conhecê-lo melhor e sentir o calor do samba brasileiro, o carinho das cabrochas no seu bambolear estonteante acompanhado este ritmo gostoso num sobe e desce constante. O Arranco é tudo isso e mais Samba, e Samba cujo futuro de gigante começa a despertar nas mentes sãs destes moços incansáveis porque a nossa agremiação está em ritmo de Brasil Grande.
Agora o publico discófilo poderá deliciar-se com o nosso primeiro compacto, ouvindo músicas do enredo do carnaval de 1972. "O Sonho da Independência".
Face A Samba 1 - Sonho da Independência (Ala de Compositores)
Samba 2 - Divina Dama (Serrinha)
Face B Samba 1 - Momo Pede Folia (Mazola)
Samba 2 - Jurei (Ayrton e José Carlos)
Acompanhamento: Nilson na marcação, Barrabás no 3º surdo, Serrinha no cavaquinho, Cleber no repicado, Iran no tarol, Baiano no chocalho, Merenda no reco-reco e Ivo, Zezé, Tonico, Ramon e Aeto nas colheres. Todos sob a direção de Jonga.
Uma realização da nova diretoria do Arranco
Por Professor Alberto Maranhão.
AESEG - Associação das Escolas de Samba do Estado da Guanabara
Entidade máxima de Representação Oficial das Escolas de Samba que participam do Carnaval Carioca
Utilidade publica Nº 1.473"

O primeiro desfile oficial da Sociedade Recreativa Carnavalesca Arranco, foi organizado em 1965 na Praça Onze, passando a desfilar no primeiro grupo da Federação dos Blocos Carnavalescos da Cidade do Rio de Janeiro até a sua transformação em Escola de samba.

Tendo como sua Madrinha a vitoriosa PORTELA



Grêmio Recreativo Escola de Samba Arranco
Fundação: 21/03/1973
Fundadores:
Carlos Pertusier Ferreira de Almeida Sebastião Pereira Luiz Carlos Policani Maciel
Reinaldinho Ferreira Martins Walter José da Silva Eros Mendes
Hélcio Guimarães Costa Alberto Maranhão
In Memória
Hélcio de Aguiar Joubert Albuquerque Nascimento Jocelyn Freitas Reis
Claudir de Andrade Oscar Alves de Azevedo Djalma Ayres de Lima
Aynarim Alves da Costa Walmir da Costa Neves
Lema: "Na ilusão desta Avenida, o Arranco é todo amor!"
Filiação: AESCRJ

Em 21 de março de 1973, o bloco se transformou em Escola de Samba. A imprensa não gostou da atitude dos dirigentes em transformar o famoso Bloco em Escola de Samba. Muitas pessoas diziam que essa transformação não seria uma boa para a Agremiação.

A vitoriosa Portela foi convidada a se manter como madrinha do Arranco. Como a cores da Portela é azul e branca, o Arranco adotou como símbolo o Falcão, "primo" da Águia, que é o símbolo da Portela. Em 1978, participou do desfile principal, retornando em 1989, com a responsabilidade de abrir o desfile com o enredo. "Quem vai querer".

O Arranco tem como lema:


" Na ilusão desta Avenida, o Arranco é todo amor! "